Perdidos e sem norte

O dia 13 de maio de 2015 é mais um com uma mancha na história do futebol sulamericano. Boca Júniors e River Plate se enfrentavam no estádio do Boca – Bombonera – pelo jogo de volta das oitavas de final da Libertadores da América. Na volta do intervalo do primeiro para o segundo tempo, vários jogadores do time do River foram atingidos por spray de pimenta, no túnel de acesso dos vestiários para o gramado. Tudo indica que foram alguns (travestidos) torcedores os responsáveis pelo lamentável fato. Após mais de uma hora de paralisação, o jogo foi suspenso pelas autoridades.

Praticamente a totalidade dos brasileiros se posicionou à favor da imediata punição ao Boca, com sua eliminação do torneio. Entretanto, vale lembrar que, em 2013, num jogo válido pelo mesmo torneio, na Bolívia, em confronto realizado entre Corínthians e San José, um torcedor do time brasileiro disparou um sinalizador em direção à torcida da casa e matou um garoto de 15 anos, Kevin Espada. A Conmebol puniu o Corínthians com perda de alguns mandos de campo. Só.

Kevin Espada

Kevin Espada

Ressalta-se também um fato que ocorre, no Brasil, desde os idos de 2013: manifestações que se iniciaram em SP contra o aumento do valor nos transportes e, depois, contra a Copa da Confederações – um ano depois voltaram a ocorrer na Copa do Mundo de 2014 e, mais recente ainda, foi a vez de acontecer no Paraná, promovida por professores estaduais. Todas elas resultaram em confrontos entre civis e policiais militares e, em todos esses casos supracitados a polícia se valeu de spray de pimenta (fora outros muitos não citados). Nesses casos políticos, o sentimento de revolta e de paladinos da justiça contra os atos policiais foram bem menores do que atualmente, no caso da partida na Argentina. Por quê? Ainda que os manifestantes sejam mais culpados que os jogadores, justifica-se o uso de spray de pimenta? Vale lembrar que um dos jogadores do River Plate, o jovem Sebastián Druissi, teve sérias complicações após o incidente: encefalite (inflamação no cérebro) e problemas gastrointestinais, causadas pelo spray de pimenta.

Sebastián Druissi

Sebastián Druissi

Professores e policiais no Paraná

Professores e policiais no Paraná

No tema ética e moral, é interessante a metáfora usada entre a “Bússola” e a “Balança”: a primeira diz respeito ao norteamento moral que se tem, enquanto a segunda são os pesos e as medidas. Se existe um norte a ser seguido, isto é, se se sabe o certo e o errado, qual o sentido em tomar dois pesos por uma só medida? No caso em voga, o norte é o respeito ao ser humano, abominando as ações que vão contra sua integridade, pautadas sob a égide da Declaração dos Direitos Humanos. Assim, a medida a ser tomada é a condenação desses desrespeitos.

A Conmebol eliminou o Boca da Libertadores. Contudo, não se deve comemorar, uma vez que a mesma entidade puniu de forma patética o Corínthians pela morte de uma pessoa e que muitos brasileiros aplaudem as medidas extremistas dos policiais militares, só resta concluir que inexiste qualquer tipo de norte no mundo atual. Estamos todos perdidos numa crise moral. Sem norte. Mesmo com GPS aos montes.

???

???

Sobre lucassrodrigue

Graduado e Mestre em Filosofia pela UFMG. Dezenas de artigos publicados em Jornais, como Estado de Minas e O Tempo. Debates sobre o cotidiano e (i) a filosofia, com seus aspectos políticos, sociais e éticos; (ii) os filmes, com suas possibilidades de interpretações inúmeras; e (iii) o espiritismo, doutrina por mim seguida na vida.
Esse post foi publicado em Filosofia e Cotidiano e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

4 respostas para Perdidos e sem norte

  1. Elaine Soares disse:

    Que bom poder aprender que as coisas nem sempre sao o que parecem ser. Lendo o seu texto temos a clara convicção de que mudamos de opinião ao sabor da maré e de acordo com os atores envolvidos no episódio. E, para mim, você tem toda a razão qndo nos lembramos do caso Kevin e das manifestações no Brasil. Mas como acharmos de um norte nesta seara de crise moral??

  2. Anice disse:

    É falaciosa (falsa analogia) essa comparação entre o uso de spray de pimenta nas manifestações e no jogo de futebol.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s