Papai Noel existe no Brasil

Durante cerca de 14 séculos (entre XX a.C. até VI a.C.) o conhecimento que vigorou em boa parte do mundo Ocidental foi o dos mitos. Contado pelos poetas-rapsodos – mensageiros dos deuses –, era a representação da verdade. Inquestionável. Obviamente, tais mensageiros (bem como suas histórias?) eram indicados pelos reis. Assim, explicava-se o porquê de as autoridades serem ricas e a maioria da população ser pobre, além do porquê de eles terem diversos outros direitos privilegiados.

Por volta do século VI a.C., nasceu a filosofia, um pensamento que buscava explicações mais racionais e lógicas, com o uso do raciocínio crítico. Aos poucos, a mãe-filosofia deu à luz várias ciências. A epistemologia mítica caiu em descrédito, porém sem nunca sumir do planeta. Por quantos séculos o direito divino dos reis ainda prevaleceu, com o argumento do sangue azul ou divino?

Os Mitos da Antiguidade

Os Mitos da Antiguidade

Na modernidade, surgiu o método científico de Francis Bacon e a física moderna de Isaac Newton. Hoje, no século XXI, a medicina está cada vez mais avançada. Existem computadores, microchips, nanotecnologia, etc. Porém, em que pese a evolução científica e tecnológica do mundo atual, o mito ainda existe. É verdade que seu significado mudou: agora faz referência a (i) mentira, lenda, ou (ii) a um heroi, uma pessoa exemplar. No primeiro caso, existem histórias do Walt Disney; figuras como o Curupira, o lobisomem, o Papai Noel; ou mesmo mitos sociológicos, como acreditar no fato de que aumentar o número de prisões no Brasil diminuirá a violência. Quanto ao segundo caso, há várias figuras notáveis como Pelé, Ayrton Senna, Madre Tereza de Calcutá, Ghandi etc.

Muitos mitos – no sentido atual de mentira – são desmistificados no fim da infância do ser humano. Papai Noel é um deles. Durante o período de criança, ouve-se histórias sobre a vinda pela chaminé da casa, ou entrando pela janela, ou mesmo pela porta, e deixando presente a todos. Músicas pululam no período de fim de ano: “Seja rico ou seja pobre o velhinho sempre vem”. Aos poucos, com o garoto já não tão novinho, ele precisava ser um bom menino durante o ano para merecer o presente do barbudo gordinho. O fato é que a ansiedade por um indulto sempre existia.

A política brasileira não podia deixar de receber um agrado. Além de 14º salário para os congressistas nesta época, foi criado o Decreto 8.172, conhecido como “indulto natalino”. Este nasceu baseado no art. 84, inciso XII da Constituição Federal de 1988, que prevê que “compete privativamente ao Presidente da República conceder indulto e comutar penas, com audiência, se necessário, dos órgãos instituídos em lei”.

Ou seja, fazendo Monstesquieu remexer em seu túmulo por quebrar a teoria dos três poderes, o Executivo pode intrometer no Judiciário. E foi por este meio que Dilma Roussef concedeu o indulto de Natal para José Genoíno, ex-presidente do PT condenado por participar do esquema milionário do Mensalão. Preso em novembro de 2013, foi libertado. Enquanto isso, Rafael Braga Vieira, preso em junho de 2013, na época das manifestações durante a Copa das Confederações, por portar um pinho sol, continua preso.

Papai Noel existe (Mamãe Noel?). E não há mais necessidade de ser um bom menino. Só não pode ser pobre. Basta ter um QI que o presente sempre vem, com facilidade. Não é mentira, é representação da realidade. É “Genoíno”. E muitos ainda o consideram um heroi. O Brasil continua na infância.

O "Papai Noel"

O “Papai Noel”

O "mito", o "heroi"

O “mito”, o “heroi”

Anúncios

Sobre lucassrodrigue

Graduado em Filosofia pela UFMG e Mestrando pela mesma instituição. Dezenas de artigos publicados em Jornais, como Estado de Minas e O Tempo. Debates sobre o cotidiano e (i) a filosofia, com seus aspectos políticos, sociais e éticos; (ii) os filmes, com suas possibilidades de interpretações inúmeras; e (iii) o espiritismo, doutrina por mim seguida na vida.
Esse post foi publicado em Filosofia e Cotidiano e marcado , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

15 respostas para Papai Noel existe no Brasil

  1. Elaine Soares disse:

    Como sempre,acertando em cheio! ! GistGostaria de aproveitar o embalo e dizer que a época dos mitos voltou, pois vivemos um mundo de mentiras e quem mente melhor tem um lugar ao lado do rei, garantido. Como pode???? Brilhante texto

  2. Brilhante!!! Não só pelo conteúdo, mas pela excelente construção do texto!

  3. Jacqueline Caixeta disse:

    Papai Noel existe sim… Como o coelho da Páscoa e a fada dos dentes.. Cada um atuando de sua maneira entre os bastidores de uma “casa grande”, longe das senzalas que acolhem os que não possuem a sorte de ter um “papai noel” em ativa. Brilhante texto!

  4. siruffo disse:

    Muito feliz a analogia feita com relação os mitos, Lucas!

    Os pioneiros mitos foram criados pela incompreensão do homem dos fenômenos naturais. Uma vez explicados pela ciência, os mitos perderam seu quê sobrenatural, expulsos de seus altares no coração dos homens, relegados às empoeiradas prateleiras dedicadas à mitologia.

    Restarem aos mitos modernos aplicações opostas, da mentira ao exemplo a ser seguido (quase inatingível). Assim, o Papai Noel poderia ser encarado como uma “mentirinha” para vender muita Coca-Cola, mas também como um norte para que meninos e meninas sejam bonzinhos por um ano inteiro.

  5. Gustavo Guerra disse:

    Aberração e retrocesso… e sequer divulgam isso da maneira como deveria… Teoria dos Três Poderes no Brasil pós-institucionalização da corrupção é outro “mito”…

  6. Gustavo disse:

    Interessante reflexão. Concordo que os mitos existem!! Mito de que a Dilma é culpada por tudo, por alguns; mito que a Dilma é a salvadora do Brasil, por outros; de igual forma, mito que o Aécio é o salvador ou culpado! O indulto de Natal é publicado anualmente, por costume, as regras são repetidas. Logo, não acredito que é possível dizer que a Dilma, mito do mal, livrou o Genuíno, sem uma análise minuciosa se as regras foram alteradas para se adequar a ele. Fica à sugestão para um próximo debate!

  7. Telma disse:

    Parabéns Lucas. Nas mãos da Dilma ( instruída pelo Lula, é claro ) somos os “bobos da corte”. Da próxima, vamos ver se o Brasil acorda e vota com o mínimo de inteligência.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s